Arquivo | outubro, 2010

Pirulito que bate bate…pirulito que já bateu…

15 out

Em homenagem ao dia das crianças (que já se passou, ok, mas ainda estamos na semana dessas pessoinhas fofas que alegram nossas vidas, não é mesmo, então ainda está valendo), vamos inaugurar aqui no Entre Rendas e Poás a categoria “moda infantil”.

Como mãe de dois meninos, sempre tive dificuldade de encontrar roupas realmente interessantes para eles. Sempre fiquei babando nas roupas das meninas, super fashion, cheias de detalhes, fora a variedade de opções que essas mães “cor de rosa” têm. Porém quando o papo é menino….hiiii, aí a coisa pega.

Podem reparar, quando entrarem em uma loja de roupa de criança comparem a quantidade de araras (e opções) que há para as meninas X as araras masculinas. É realmente revoltante, será que as confecções acham que nós, mãe de pequenos seres do sexo masculino, não queremos ver os nossos machinhos bem vestidos e com um guarda roupas cheio de opções que fogem do básico (em outras palavras: que fogem do “sem graça”).

Posso até citar o exemplo de uma loja que eu adoro (nada contra a loja, sou super cliente dela, mas só fico chateada por não fabricarem seus modelitos, lindíssimos, para os meus filhotes). A loja é a Farm (confecção carioca que vem conquistando os corações, e closets, das paulistas). Eles têm uma marca infantil chamada Fábula, cheia de vestidinhos, sainhas, camisetinhas e até sapatinhos, tudo lindo, maravilhoso, super estampado e colorido, para meninas de (se não me engano) até 6 anos. Entenderam neh? Meninas…somente meninas…nada mais do que meninas…nenhum, sequer, modelito masculino.

E por aí vai…esse foi um exemplo que lembrei, mas, assim como a Fábula, há várias lojas que só “aceitam” meninas. Agora eu pergunto: alguém aí já ouviu falar de alguma confecção infantil exclusivamente masculina? Eu não conheço nenhuma (marketeiros de plantão, olha aí a oportunidade).

Mas enfim, toda essa introdução foi só para falar de uma loja infantil que me surpreende a cada coleção, com opções super “descoladas”, diferentes e com cara de criança mesmo.

Semana passada fui almoçar com uma amiga no Shopping Villa Lobos e, passeando pelos corredores do shopping, reparei em uma vitrine que meus olhos de blogueira de moda não deixaram passar despercebida.

Não me aguentei e, na maior cara de pau, entrei na loja e pedi para tirar fotos de algumas coisinhas lindas pra dividir com vocês aqui no blog.

A loja chama-se Nosh. Desde que abriu (infelizmente só tem aqui em São Paulo) ela vem dando muito o que falar entre as mamies moderninhas (como eu…rs…e viva a minha modéstia). E não é à toa, olhem só cada coisa mais fofa eu encontrei por lá.

Para os mais bebecitos alguns modelitos fofos de bodies masculinos:

Bodies masculinos

Olha os modelitos de calça ou short com desenhos aplicado no bumbum, coisa mais fofucha:

Peças com aplicações no bumbum

É claro que lá também são encontrados modelitos femininos, e são de babar (cada vez que vejo essas coisas me dá uma vontade de ter uma menininha, mas em segundos a vontade passa, basta lembrar que ainda estou naquela fase de sonhar com uma noite inteira de sono…rs):

Bodies femininos

E, para finalizar, os “acessórios” que fazem toda a diferença (chupetas e prendedores de chupetas):

"Acessórios" infantis

Repararam na chupeta “encapada” com strass? A vendedora me jurou que não corre o risco dos bebês engolirem as pedrinhas de strass, disse que elas não soltam daí por nada.

Bom, há tempos que algumas mães, revoltadas com a “adultização”(acabei de inventar essa palavra, mas acho que dá pra entender o que quero dizer), vêm me pedindo um post com dicas de roupinhas de criança com cara de criança, mas sem ser bobinha, então aí fica a dica…

Festival de estilo…

13 out

Ufa…enfim vou conseguir postar. Estou novamente sem empregada e minha babá veio me contar que está grávida, então a vida doméstica está realmente uma enorme loucura.

Com essas peripécias domésticas, não houve muita solução, e tive que diminuir o ritmo dos posts. Mas fiquem tranquilos, sei que logo a rotina aqui em casa vai voltar ao normal, e eu vou voltar a postar todos os dias.

Bom, eu já fui bem adepta aos festivais de música, antigamente chamados de raves, mas com a vinda dos meus dois filhos tive que abandonar essa antiga paixão. O último festival que eu fui foi quando estava grávida de 4 meses do meu primeiro filho, depois nunca mais.

Mas estávamos eu e meu marido, de bobeira, domingo à noite em casa, quando ele teve um estalo e quis ir pro SWU (mega evento que aconteceu final de semana passado lá em Itu). Aí foi aquela correria, fomos atrás de uma baby sitter pra ficar com os meninos, compramos convite de cambista na porta do evento (que feio assumir aqui, em público, que eu incentivei o trabalho clandestinos dos cambistas, mas juro que foi a primeira vez que fiz isso, levada mesmo pelo desespero pra conseguir entrar no show) e fomos lá, todo pomposos, curtir Dave Matthews Band.

A primeira hora do evento foi uma delícia, apesar do frio de morrer que fazia e eu não havia me preparado pra isso, show incrível, nos curtimos horrores, até o momento que resolvemos sair do meio de muvuca pra comprar uma cerveja. Aí veio a surpresa… Cadê a carteira do bonito? Enfiaram a mão na poupança do meu gato e roubaram sua carteira sem que ele sentisse absolutamente nada. E eu garanto que ele estava super sóbrio, afinal, havíamos acabado de chegar ao evento, nem deu tempo de começar a beber.

Bom…daí pra frente foi aquela coisa, corre atrás de posto de polícia, fila pra fazer BO (pois é, assim como nós, mais uma galera foi furtada durante os shows), e fomos embora frustrados, sem lenço nem documento e arrependidos por não ter ficado em casa vendo um filminho e tomando um vinhozinho.

Mas sabe que pelo menos valeu pra eu praticar um antigo costume: observar roupas e estilo do pessoal que frequenta esses festivais. Sempre adorei observar isso, é muito interessante a diversidade de estilos que esses shows concentram e a criatividade da galera.

Logo que coloquei meus pés lá, me arrependi profundamente por não ter levado a minha máquina fotográfica (ainda não aprendi que agora que sou blogueira é obrigatório andar com ela a tiracolo). Tentei tirar algumas fotos com o celular, mas ficaram escuras demais. Também procurei pela internet fotos do pessoal no SWU, mas encontrei pouca coisa. Porém encontrei fotos de outros festivais, a maioria deles fora do Brasil, e resolvi postá-las aqui pra entenderem o que eu falo sobre a diversidade e criatividade que encontro nesses eventos.

Segue, também, algumas diquinhas de como se vestir nessas ocasiões.

O principal para ir aos festivais é estar bem confortável, afinal, nesses eventos enfrentamos uma maratona de shows, são horas em pé, além e muitos deles exigirem uma caminhadinha para chegar do estacionamento até o local dos shows (como era o caso do SWU).

Looks Confortáveis

A combinação de vestidos levinhos ou shortinhos com botas de salto baixo ou com tênis é bem comum nesses festivais, sempre com muito estilo, como nas fotos acima. Para esses dias de tempo mais indefinido (acorda com aquele sol e no fim do dia esfria muito) é aconselhável a meia-calça pra evitar congelar na balada.

Um item muito funcional para enfrentar o sol a céu aberto (já que geralmente esses show são outdoor e muitos deles acontecem em plena luz do dia), e que pode acrescentar um toque bem pessoal e diferente ao look, são os chapéus:

Muito estilo com o chapéu

Eu sou super adepta às galochas, apesar de já ter passado a “febre” delas. Acreditam que eu tinha uma que usei tanto que até furou o solado? Pois é, aí aposentei a coitadinha e estou só esperando a minha viagem pros EUA pra comprar uma substituta.

Considerando isso, não poderia deixar de indicar a boa e velha galocha para enfrentar a terra (algumas vezes lama) que encontramos nesses festivais (geralmente eles são realizados em fazendas/sítios localizados em estradinhas de terra):

Looks com galochas

Repararam no óculos dessa primeira mocinha das fotos acima. Então, é isso que eu chamo de estilo e criatividade das pessoas que frequentam esses eventos. E fala que não ficou ótimo nesse look super colorido combinado com a galocha preta e o óculos amarelo em formato de coração? Nota 10 pra ela…

A camisa xadrez também está sempre presente nos festivais. Usada e combinada das mais diversas maneiras ela traz um quê cool ao look, além de ser super confortável:

Camisa xadrez

Bom, se vocês forem observadoras vão reparar que muitas das meninas desse post estão usando uma bolsa tiracolo, elas são super indicadas para levar nossas “tralhinhas” sem nos incomodarem. São fáceis de carregar e, o melhor, agora estão super em alta ein… Só vale ficar bem esperta com ela, sempre carregando-a pendurada na frente, para não acontecer como comigo e meu marido que fomos roubados e tivemos que ir embora da festa antes do esperado (como disse uma amiga: não podemos esquecer que estamos em um país de terceiro mundo e, infelizmente, tem gente que vai para os  festivais pra “sacanear”).

Bom, espero que gostem da dica e aproveitem os próximos festivais.

Aliás, esse próximo final de semana, aqui em SP, tem o Festival Natura Nós, já da pra montar um look inspirado nesse post ein…

A dica é…aproveitar!!!

8 out

Aí vai mais uma diquinha de promoção fora de época.

Sempre fui apaixonada pelos vestidos e estampas criadas pela estilista Adriana Barra, mas devido ao valor de suas peças, nunca tive coragem de comprá-las.

Hoje soube que a estilista (ou artista, porque suas estampas são realmente diganas de uma artista) está fazendo um bazar com peças mais antigas, e promete um preço “super especial”.

Para aqueles que, assim como eu, são apaixonados por suas estampas, acho que vale a pena conferir ein? (Nem que seja pra ficar, mais uma vez, só babando…)

Convite do bazar de Adriana Barra

Uma maxi tendência…

7 out

Gentem…cadê esse verão que estou tanto esperando???

Apesar do tempo que não quer colaborar, vamos continuar falando do verão (tenho fé que ele está prestes a chegar) e de suas tendências.

Já ouviram falar dos maxi anéis?

Muitos maxi anéis

E das maxi pulseiras?

Maxi pulseira / Fonte: Lookbook.nu

Pois é, os acessórios despontaram nas passarelas de primavera/verão 2011 no Brasil e nas ruas da Europa:

Looks com maxi anéis e maxi pulseiras / Fonte: Stockholm Streetstyle

 

A estilista Cris Barros, de olho na tendência, lançou a sua versão das maxi bijoux’s…olha que máximo, diferentes, ousadas, ADOREI!!!

Maxi Bijoux Cris Barros

Desfile verão 2011 Cris Barros

Tem ainda os maxi colares:

Maxi Colares

É, esse verão vai ser mesmo dos maxis, um ótimo contraponto à tendência minimalista, imaginem como um acessório desses tem o poder de equilibrar um look minimalista.

E eu adotando a versão dos maxi’s:

Eu tentando auto-fotografar o meu maxi anel

Aliás, peço desculpas pela foto, mas auto-fotografar a minha própria mão é suuuuuper complicado (tentem repetir o feito que vocês vão me entender), mas acho que deu pra ter uma idéia do meu maxi anel neh?  Estou apaixonada por ele!